terça-feira, 31 de março de 2015

livros baseados em games ou vice-versa

 Livros também são uma ótima alternativa para quem gosta do enredo, mas não tem habilidade para jogar ou não tem tempo.


 Call of Cthulhu: Dark Corners of the Earth

O jogo é baseado em “The Call of Cthulhu” de HP Lovercraft, o game é um survival horror em primeira pessoa e combina elementos de ação furtiva. Call of Cthulhu segue a história de Jack Walters, um detetive particular que não anda com a sanidade em dia. Ele é contratado para investigar um caso de desaparecimento em Innsmouth, onde toda a história começa.



O guia do mochileiro das galáxias, Douglas Adams


Não entrar em pânico é quase impossível com este jogo. Produzido pela empresa estadunidense Infocom, que no início da década de 1980 já era bastante conhecida por seus jogos de ficção interativa, O Guia do Mochileiro das Galáxias não é apenas mais um desse gênero: ele teve o dedo do autor dos livros, Douglas Adams. Ele trabalhou em todo o desenvolvimento da história, que é bem parecida com a contada no livro. A dificuldade fica por conta da mecânica do jogo. Por causa das limitações tecnológicas da época, toda a trama foi contada por meio de puzzles textuais. E não são puzzles quaisquer.


O médico e o monstro, Robert Louis Stevenson




A famosa história de Dr. Jekyll e Mr. Hyde, escrita pelo britânico Robert Louis Stevenson, foi transformada em um jogo para Nintendinho, pela empresa japonesa Toho. A adaptação, porém, só mantém o título e o nome dos personagens da obra original. No jogo, Dr. Jekyll caminha pela cidade rumo a seu casamento, enquanto é impedido pelas pessoas e animais. Quanto mais o personagem apanha, mais sua raiva aumenta e, quando atinge o limite, ele faz como Bruce Banner e se transforma.


 Duna, Hideaka Sena


Dune

Um dos maiores clássicos da ficção científica mundial também foi parar nos videogames. Escrito pelo estadunidense Frank Herbert em 1966, Duna traz o conflito político entre três famílias nobres em uma Terra futurista. O jogo, desenvolvido pela Cryo Interactive e lançado para PC e Sega CD, também segue essa premissa básica, mas acrescenta elementos de estratégia e aventura para melhorar sua mecânica.


Parasite Eve


Parasite Eve

Um clássico do Playstation, Parasite Eve é um jogo de survivor horror lançado pela Square, famosa pela franquia Final Fantasy. A história do jogo gira em torno da tal Eve do título, que é a vilã a ser derrotada. Ela é uma espécie de ser que consegue manipular as mitocôndrias das pessoas, levando-as a combustão espontânea. Cabe a Aya Brea deter o monstro antes que ele consiga procriar.

Tom Clancy’s Rainbow Six



De todos os jogos desta lista, o único que pode carregar o emblema de ter revolucionado um gênero é Tom Clancy‘s Rainbow Six. Lançado para todas as plataformas da época, ele veio para consolidar de vez o formato de combates táticos, onde as ações furtivas e as escolhas do jogador valem mais do que o tiro, porrada e bomba. A série fez tanto sucesso que continua a ser desenvolvida até hoje. Na E3 de 2014, a Ubisoft anunciou que o sétimo jogo da franquia, Rainbow Six Siege, está previsto para 2015.


O jogo foi desenvolvido enquanto Tom Clancy ainda escrevia o livro Rainbow Six. Lançados no mesmo ano, eles funcionaram como uma dobradinha eficiente para os fãs, que puderam ter um acesso maior às informações presentes no game e acompanhar de perto as aventuras do contra-terrorista Rainbow.

The Wheel of Time

Pouco conhecidos aqui no Brasil, The Wheel of time é uma série de livros escrita pelo estadunidense James Oliver Rigney, sob o pseudônimo de Robert Jordan, e que chegou a seu 15º – e último – livro em 2013. O autor, porém, morreu em 2007 sem concluí-la, deixando a cargo de Brandon Sanderson a reunião dos manuscritos restantes e a finalização da história, que mescla bastante elementos do budismo e do hinduísmo em um mundo ficcional inédito e detalhado.

American McGee’s Alice

American McGee's Alice
Pouco tempo depois do fim de Alice através do espelho, um incêndio destrói a casa de Alice e mata seus pais. Ao lutar para superar a perda, a menina de apenas sete anos perde também a lucidez e termina internada em um hospício, catatônica. Dez anos depois, Alice ainda está em tratamento e acaba reencontrando o coelho branco, que a leva de volta para um País das Maravilhas não tão maravilhoso assim.
Apesar de insana, esta trama não foi escrita por Lewis Carroll. Lançado em dezembro de 2000 para PC, American McGee’s Alice traz a mais macabra e violenta versão dos personagens criados por Carroll.

Dante’s Inferno

“Da nossa vida, em meio da jornada/achei-me numa selva tenebrosa,/tendo perdido a verdadeira estrada”. É assim que Dante começa seu caminho rumo aos nove círculos do inferno, enfrentando diversos monstros para liberar a alma de sua amada Beatriz das mãos de Lúcifer. Calma, esta não é a história da clássica obra de Dante Alighieri, mas sim a sua adaptação para Playstation 3 e Xbox 360, lançada em 2010 pela Visceral Games. Baseado na parte do inferno de A Divina Comédia, o jogo tem uma mecânica parecida com a da série God of War, com o personagem enfrentando demônios, almas e até bebês abortados com uma cruz sagrada como arma principal.

Metro 2033 (2010)

A primeira vez que se ouviu falar do romance Metro 2033 foi em 2002, quando ele se tornou um fenômeno na internet russa. O sucesso de público foi tão grande que o livro de Dmitry Glukhovsky ganhou uma versão física em 2005 (vendeu mais de 500 mil cópias só na Rússia, fora os 2 milhões que leram antes da publicação oficial) e tradução para o inglês em 2010, coincidindo com o lançamento do jogo.

Terra-Média: Sombras de Mordor,  de  Christian Cantamessa

Elfos, humanos, anões, hobbits, orcs, trolls e muitas batalhas. Não foram poucos os jogos que se ambientaram na Terra-Média e usaram esta mesma mecânica, mas poucos se arriscaram tanto quanto o mais recente game da Monolith Productions. Lançado em setembro de 2014, Terra Média: Sombras de Mordor acompanha a história de Talion, um guerreiro de Gondor que, após sua morte, tem como missão vingar o assassinato de sua família e resgatar a memória do elfo Celembrimbor – o criador dos anéis de poder.
http://super.abril.com.br/blogs/superlistas/10-jogos-de-videogame-baseados-em-livros/

God of War (Matthew Stover e Robert Vardeman)


Top-15-livros-de-games-god-of-war

Como o próprio subtítulo já diz, trata da história que deu origem ao jogo. A obra segue os passos do jogo e de Kratos, contando suas aventuras e descrevendo um pouco das outras mitologias. Escrito por Matthew Stover (autor do livro de Star Wars Episódio III) e Robert Vardeman (The Gathering, Crimson Skies e Maelstrom) então nem preciso dizer que os caras são demais e o que isso significa, né?
O guerreiro espartano Kratos, sedento por sangue, continua sua busca por vingança contra os deuses do Olimpo. Após ser manipulado pelo deus da guerra, o brutamontes almeja acabar de vez com Ares.


Halo (Greg Bear)






 Quem leu diz que acaba se familiarizando com o mundo de Halo, como se o conhecesse a vida toda, portanto recomendo-o aos fãs da franquia.
Os Forerunners são seres que habitaram a galáxia cerca de 100.000 anos atrás. Apesar do convívio em harmonia com inúmeras espécies diferentes, destacavam-se pela inteligência apurada e uso de tecnologia. Apesar da narrativa se manter fiel ao enrendo, Cryptum se afasta do gênero de ação do jogo, com apenas uma grande cena de combate. Ele expande e acrescenta informações ao universo de Halo, mas não apresenta tantas cenas de ação quanto os jogadores estão acostumados.





World of Warcraft  (Christie Golden, Richard A. Knaak e Michael A. Stackpole)




artigo-finalboss-livros-baseados-em-games-05

 São 6 títulos traduzidos no Brasil,sendo: Marés de Guerra, A Ruptura (ambos de Christie Golden), Sombras da Orda (Michael A. Stackpole), Alvorada dos Aspectos (Richard A. Knaak), Crimes de Guerra (Christie Golden) e o recém anunciado Crepúsculo dos Aspectos, também de Christie Golden. São diversos livros que contam fatos históricos do rico universo de WOW e com certeza será uma leitura altamente válida para todos os fãs da série ou quem quer conhecer toda a mitologia.




StarCraft 2 (Christie Golden e William Dietz)





 O primeiro livro, Ponto Crítico, conta o que acontece entre o primeiro jogo, Wings of Liberty, e o segundo, Heart Of The Swarm. Já o segundo livro, Demônio do Paraíso, conta um pouco da luta contra a Confederação.

 S.T.A.L.K.E.R.: Shadow of Chernobyl

O jogo se passa numa realidade alternativa onde uma segunda catástrofe atômica atinge Chernobyl e a radiação afeta totalmente a flora e a fauna do universo do jogo, criando criaturas não muito amistosas. S.T.A.L.K.E.R. é baseado no livro “Roadside Picnic” e é um jogo de tiro em mundo aberto aproveitando vários elementos de DEUS EX.




Uncharted (Christopher Golden)




artigo-finalboss-livros-baseados-em-games-06




Trazido para o Brasil pela Benvirá em 2012,  narra a vida de Nathan Drake, que é praticamente um Indiana Jones contemporâneo que precisa descobrir quem assassinou um famoso arqueólogo. O livro todo se desenvolve ao redor do mistério que cerca esse assassinato, onde ele e seu companheiro inseparável Sully descobrem que não são os únicos tentando desvendar o mistério do quarto labirinto – nome que se dá ao livro também: Uncharted: O Quarto Labirinto.

Assim como nos jogos, a ação acontece de maneira frenética com diálogos engraçados e muito bem construídos. Uma ótima pedida pra quem gosta dos jogos!


Mass Effect (Drew Karpyshyn)



Mais uma série, de três livros, com 2 deles lançados pela Galera Record. O primeiro livro, Revelação, foi trazido para cá no ano passado, rola em torno do tenente David Anderson e se trata de uma expansão do universo de Mass Effect. O segundo, Ascensão, lançou em setembro desse ano e conta a história sob o ponto de vista do protagonista Paul Grayson, se passando cerca de dois meses depois dos eventos finais do primeiro jogo. O terceiro livro ainda não foi lançado no Brasil, mas esperamos que chegue ao país pra fechar a trilogia!




Hitman (Raymond Benson)




O Agente 47 possui apenas um livro lançado no Brasil, lançado pela editora Leya e chamado Hitman: A Condenação, onde o autor Raymond Benson desenvolve a história do assassino carecão, o melhor assassino do mundo, geneticamente criado para e aprimorado para matar. A história se passa no intervalo entre os dois games,Blood Money e Hitman – Absolution. Um livro com muitos tiros e corpos, nem tenho que dizer. O autor também escreveu os livros de Splinter Cell e Homefront: The Voice Of Freedom, portanto experiência não lhe falta.




Need For Speed (Brian Kelleher)




Traduzido pela Editora Gente e lançado neste ano, o livro baseado no filme (que foi baseado no jogo) conta sobreTobey Marshall, uma lenda das corridas de rua, que após ser solto da cadeia vive completamente sem esperanças até receber uma proposta tentadora. No entanto um velho inimigo está de volta. Perseguições em alta velocidade, descrições perfeitas dos carros tunados e exóticos, emoções perigosas e uma aventura surpreendente.Esse livro deve ser pura adrenalina, e como fã dos jogos, eu com certeza fiquei na vontade de ler agora.





Taikodom (J. M. Beraldo e Gerson Lodi Ribeiro)




Despertar é o primeiro livro de uma coleção que apresenta a narrativa literárias do U.F. Seu autor, João Marcelo Beraldo é escritor de ficção científica e game designer do próprio Taikodom. Portanto, ninguém melhor do que ele para fazer as honras da casa e apresentar oficialmente essa vertente literária ao público leitor brasileiro, nesta que é a primeira publicação profissional da literatura taikodônica. A ação eletrizante do romance se passa na mesma época em que tem início o módulo I do game on-line. Diversas cenas, ambientações e personagens são inclusive comuns ao romance e ao jogo.
O segundo livro, Taikodom: Crônicas conta diversas histórias que aconteceram no universo ficcional do game. O autor narra os conflitos e as descobertas dos humanos “ressurrectos”, que saíram do Planeta Terra durante a Era da Restrição e tiveram que se adaptar a uma nova realidade.

Gears of War: Fim da Coalizão


Quinze anos depois do colapso mundial, COG e URI buscam refúgio na pequena e remota ilha de Vectes. Entretanto, depois da fuga e de uma breve paz entre as duas nações, Marcus Fenix e seus companheiros devem lutar contra outra ameaça, os Lambent, enquanto tentam descobrir a origens das mutações que assolam Vectes e Sera. 



Bioshock – Rapture (John Shirley)






Trata-se de uma introdução ao primeiro jogo lançado pela Editora Novo Século no ano passado, e pode ser considerada uma das melhores adaptações do gênero por ser rico em detalhes e ser muito parecido com o game. Se você ainda não jogou Bioshock 2 e não quer spoilers, só leia este livro depois de jogar, mas caso queira detalhes do jogo, leia, porque o livro contém muitos deles, e quem sabe isso não acaba ajudando você.



Resident Evil (S.D. Perry)






 Trata-se de uma série de sete livros que recontam os games e ainda contêm alguns fatos inéditos, que não fazem parte da cronologia central da série. Foi lançado aqui pela Editora Benvirá o primeiro no ano passado com o nome de Conspiração Umbrella.


Assassin’s Creed (Anton Gill / Oliver Bowden)






A saga composta de sete livros já lançados pela Galera Record no Brasil escrita por Anton Gill sob o pseudônimoOliver Bownden, teve seu primeiro título (Assassin’s Creed: Renascença) lançado em março de 2011. Só em 2012 foram lançados outros três livros da série e nesse ano lançaram o último (já escrito), Assassin’s Creed: Unity. Segundo o autor, a Ubisoft lhe deu liberdade para criação, podendo haver histórias que não estão no jogo. Digamos que os livros são mais um spin-off dos games, então a leitura dá um gostinho a mais para os fãs da franquia e adicionam elementos a já rica história dos games  da Ubisoft.


Diablo (Nate Kenyon)




artigo-finalboss-livros-baseados-em-games-04


Conta a infância e alguns dos fatos que levaram Deckard Cain a se tornar um dos mais importantes personagens da franquia. Os dois últimos livros foram lançados neste ano e cada livro teve um autor diferente, exceto o primeiro e o terceiro que foram escritos por Nate Kenyon. A leitura dessa saga nada mais é que um complemento para quem a joga.


Battlefield 3: O Russo (Andy McNab e Peter Grimsdale)






Este se diferencia das demais adaptações de livros, porque narra mais guerra, em vez de aventura como nos outros, e isso é ainda mais acentuado porque o autor não é nada menos que um ex-militar, então ele leva às linhas muito mais realidade. Mais um livro lançado pela Galera Record em 2012. Acho que é uma leitura super válida para os fanáticos por guerras.





Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...